28/12/2017

Sindicato destaca vitória contra abertura de capital da Caixa

Diretores do Sindicato dos Bancários de Pernambuco estiveram reunidos, na tarde da última terça-feira (26), com a Superintendência da Caixa, destacando a grande vitória da categoria em favor da manutenção do banco 100% público, diante da ameaça de abertura do capital do banco. A pauta também incluiu a questão da jornada de trabalho, da terceirização e dos critérios de transferência.



Representaram o Sindicato, a presidenta, Suzineide Rodrigues, o secretário de Administração, Geraldo Times, a diretora e funcionária da Caixa, Terezinha Santiago, e o aposentado da Caixa Luiz Xavier. Os interlocutores foram o superintendente do banco, Laércio Lemos e o gerente Administrativo, Waldemar Gomes.


Na ocasião, os representantes da categoria destacaram os protagonistas da luta em defesa da Caixa. “A nossa vitória é fruto de uma grande mobilização do Sindicato, dos empregados, da Contraf-CUT, da Comissão de Empregados da Caixa e de toda a sociedade brasileira”, afirmou Suzineide.


Oportunamente, a presidenta pontuou ainda algumas ações prioritárias para o próximo ano, nesse campo. “A campanha em defesa dos bancos públicos terá continuidade em 2018 com a participação dos empregados e da sociedade porque defender os bancos públicos é defender o Brasil. Precisamos também garantir a manutenção de nossa CCT e dos aditivos específicos, já que se depender dos banqueiros e do governo, a classe trabalhadora não terá mais nenhum direito”, atacou.


A agenda também incluiu um debate sobre a conjuntura do País e os riscos de privatização dos bancos públicos e das demais empresas estatais. No momento, os sindicalistas destacaram a atuação da representante dos empregados da Caixa no Conselho de Administração e coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas, Rita Serrano, que esteve presente durante todo o processo contra a abertura do capital do banco.




Com relação à jornada de trabalho da categoria, o Sindicato cobrou as cláusulas previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), argumentando que a solução para a extrapolação da jornada é a contratação de mais empregados.


“Como as agências não possuem um quantitativo adequado de profissionais para dar conta do trabalho, normalmente existe um acúmulo de atividades, que extrapola a carga horária. Por isso, defendemos a contratação de mais empregados para a Caixa, ou seja, o ingresso imediato dos concursados. Reafirmamos nosso posicionamento contrário a toda substituição de empregados por terceirizados. Exigimos que todas as horas extras devam ser pagas. Orientamos os empregados para que não deixem de denunciar em caso de descumprimento da CCT e do acordo específico da Caixa”, declarou a diretora do Sindicato, Terezinha Santiago.


Já o secretário de Administração, Geraldo Times, questionou o banco acerca dos critérios de transferências. A posição da Superintendência da Caixa é de que essa é uma questão muito pertinente e que o banco está fazendo um estudo científico, a fim de agilizar o processo. “Muitas bancárias e bancários demandaram queixas ao Sindicato. Exigimos que soluções eficazes e transparentes sejam apresentadas com brevidade”, cobrou.


A CCT tem validade até 31 de agosto de 2018. Caso os bancos não cumpram os termos, o Sindicato assegura que realizará atos e greves. “Que venha 2018, pois estamos preparados para continuar nas trincheiras de luta em defesa do Brasil e dos direitos das bancárias e bancários, sejam eles de bancos públicos ou privados”, concluiu Suzineide.

Compartilhe no
Notícias relacionadas...

Outras notícias...

Expediente:
Presidenta: Suzineide Rodrigues • Secretário de Comunicação: Epaminondas Neto • Conselho Editorial: Suzineide Rodrigues, Epaminondas Neto, Adeílton Filho e Epaminondas Neto • Jornalista Responsável: Micheline Américo  Redação: Beatriz Albuquerque e Brunno Porto • Coordenação, Supervisão e Produção de audiovisual: Tempus Comunicação •  Programação Visual: Bruno Lombardi